O Projeto

A pesquisa “Ohno.Flamenco” teve início a partir de outubro de 2013 com a cessão de espaço no Centro de Atividades Integradas (CAIS) – Vilas Mathias, da Prefeitura de Santos, para ensaios do Coletivo PataPalo grupo do qual faço parte. A pesquisa foi desenvolvida fora do horário dos ensaios de grupo e teve como resultado parcial a performance apresentada na I Mostra Experimental do CAIS, realizada no dia 13 de dezembro de 2013. Em 2014 o projeto foi selecionado para fazer parte da Ocupação #32, um projeto desenvolvido pelo SESC Santos com a coordenação de Liliane Soares. Este projeto proporciona aos artistas selecionados a possibilidade de construção de um trabalho artístico a partir do apoio da instituição, este apoio se dá através da utilização de espaços de ensaio cedidos pela instituição e diálogos e atividades formativas com artistas convidados pela coordenação do projeto.

“Ohno.Flamenco” parte da relação existente entre o bailarino japonês, e um dos fundadores do Butoh, Kazuo Ohno e o Flamenco. Ohno teve uma parte importante da sua produção artística relacionada ao flamenco e considerava este como uma das suas principais influências. Esta influência se mostra presente, por exemplo, na obra dedicada à bailarina “La Argentina”, considerada por Kazuo Ohno como uma das maiores artistas que havia conhecido. A peça acabou se tornando uma de suas criações mais famosas, com a qual Ohno fez apresentações em diversos países, inclusive no Brasil. A partir disso, a ideia que estava presente na origem deste projeto era a de fazer um caminho inverso ao feito por Kazuo Ohno, enquanto este havia levado o Flamenco ao “mundo” do Butoh a ideia da pesquisa era levar Ohno ao “mundo” do Flamenco,  buscando traduzir seu trabalho para esta linguagem.

Com o aprofundamento de alguns estudos, conversas com outros artistas e após a apresentação da primeira performance, a figura de Kazuo Ohno foi tornando-se muito maior do que o previsto inicialmente. Outros trabalhos do artista foram sendo levados em consideração,  e a partir de um estudo mais aprofundado Kazuo Ohno veio a se tornar uma presença que na pesquisa transcendeu a sua criação artística ou a sua memória. Ou seja, a influência de Kazuo Ohno no trabalho se mostrou não só enquanto uma figura real, mas enquanto uma proposta estética, aos poucos  o “Ohno”  do titulo passou a ser um “conceito”, uma possibilidade artística. A partir disso, a pesquisa deixa um pouco de lado a característica de “homenagem” ao artista Kazuo Ohno e passa a sofrer a influência de outros representantes do Butoh, de outras expressões  das artes cênicas japonesas como o Teatro Nô  e também de criadores vanguardistas dentro do flamenco, como o bailarino Israel Galván, que é hoje um dos principais expoentes do que veio a ser considerado pelos críticos como “flamenco experimental”, linguagem à qual este trabalho está relacionado.

A proposta passa a ser então uma pesquisa de linguagens, uma busca de caminhos e pontos de convergência entre duas expressões artísticas aparentemente tão díspares como o Flamenco e o Butoh. Propõe-se então uma linguagem que una estas duas artes, uma mescla, uma arte híbrida que surja a partir deste diálogo.